Processo seletivo

Fim de ano e vc começa a pensar em procurar emprego no começo de Janeiro de 2012... Então prepare-se pq vc já estará atrasado, além do ano de trabalho não iniciar no 1º dia de janeiro, ainda cairá em uma segunda-feira! O departamento de seleção e os entrevistadores estarão bem "animados" pra receber vc! Hahaha


Dê uma olhada em algumas curiosidades q ocrreram em processos seletivos, e vc, q está empregado... curta a leitura, afinal... ou vc já passou por um processo seletivo ou passará novamente... nunca c sabe! Hahaha




Ana Luiza Jimenez

Ana Luiza Jimenez
segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Imprevistos sempre podem acontecer. Mas quando as situações inusitadas são no meio de um processo seletivo ou durante o expediente de trabalho, fica bem mais complicado ter jogo de cintura para se livrar da vergonha. Confira abaixo algumas histórias engraçadas que aconteceram em processos seletivos.



Negócios, negócios. Brincadeiras à parte - Uma dinâmica de grupo de uma empresa do setor de Agronomia reuniu estudantes de Zootecnia. A consultora responsável pela atividade tentou de todas as formas deixá-los à vontade, já que normalmente estudantes desta área não estão habituados a processos seletivos estruturados. A consultora Renata conseguiu atingir seu objetivo: um dos participantes se sentiu tão confortável quando viu no crachá de identificação o nome da recrutadora, que começou a cantar em voz alta a música “Renata, Ingrata”, do Latino. Seu colega gostou da iniciativa e resolveu dançar ao seu lado. É claro que todos os participantes caíram na gargalhada.



Depois do show, Renata foi obrigada a dar um sermão e dizer que ela não estava ali para brincadeira. Apesar da atitude inadequada, o cantor inconveniente teve ótimo desempenho no restante da dinâmica e passou para a próxima etapa do processo seletivo.



Um candidato prevenido vale por dois - Horas antes da entrevista, uma consultora recebeu a ligação de uma candidata perguntando se deveria levar um par extra de sapatos. A consultora estranhou e perguntou se ela tinha dúvidas sobre o dress code apropriado para a ocasião. Diante da negativa da futura entrevistada, a consultora disse que o par adicional não seria necessário e ficou sem entender o motivo do questionamento.



Após a entrevista, a consultora, curiosa, perguntou por que ela tinha ligado mais cedo com aquela questão tão inusitada. A estudante explicou que tinha ido a uma seleção em uma empresa do mercado financeiro no dia anterior e em uma das etapas ela deveria convencer o gestor da empresa a comprar o artigo do seu vestuário que ela mais gostasse – no caso, seus sapatos. Após uma longa negociação, ela finalmente conseguiu “vender” os sapatos, recebendo em troca o valor em dinheiro que havia estipulado. Mas adivinhem só? O gestor não estava de brincadeira, não. A garota teve que sair do escritório, que ficava no meio da avenida Faria Lima, descalça. Ela parou na primeira loja que encontrou e comprou um par de chinelos. Ainda bem que ela havia escolhido os sapatos. Já pensou se alguma outra peça fosse a sua favorita?



Falta de atenção ou bom senso? - Na etapa de apresentação pessoal, na dinâmica da filial brasileira de uma empresa de higiene pessoal, os candidatos deveriam falar com qual produto da companhia mais se identificavam e por que. Nosso personagem começou sua apresentação dizendo que ele amava o “talco para massagem”. Mas esse produto não existia na multinacional que estava promovendo a processo seletivo. Aliás, em nenhum lugar do mundo se tem notícia de um talco que tenha a finalidade de massagear!



Para completar a sucessão de equívocos, as consultoras ouviram a seguinte história quando questionaram o candidato sobre suas expectativas em relação ao futuro profissional: “Meu grande sonho é ter um baby [sim, ele disse baby!]. Eu me vejo saindo de casa para trabalhar na tal empresa e vendo meu baby acenando para mim da janela de seu quarto e desejando um bom dia de trabalho.” Candidatos, por favor, bom senso nunca é demais!



Entrevista não é terapia - Em uma entrevista coletiva, uma consultora pediu que uma estudante contasse uma situação onde ela havia lidado com frustrações. A garota começou a contar sobre uma briga com o namorado. No meio da narração, ela não se segurou e começou a chorar, ou melhor, soluçar, lembrando das discussões. Moral da história: misturar problemas pessoais mal resolvidos e trabalho, normalmente, não dá certo.



Surpresa! - Uma grande empresa que atua na área de bens de consumo tem o costume de contar que um funcionário foi contratado de forma inusitada. Certa vez, ligaram para uma candidata que havia acabado de sair de uma entrevista dizendo que ela tinha esquecido um documento pessoal e, por isso, deveria voltar para buscá-lo. Confusa, a estudante disse que já estava na rodoviária, quase entrando no ônibus para a sua cidade, mas que estava com todos os seus documentos. O gestor da empresa retrucou dizendo que ela tinha, sim, esquecido um documento importante: seu crachá pessoal da empresa que acabara de contratá-la!



Contaminado ou contaminante? - Na fase de Assessment de um processo seletivo, os candidatos tinham que trabalhar em diversos cases. Em três minutos, deveriam discutir em grupo, chegar a uma conclusão e o integrante apontado pelo recrutador tinha que relatar a opinião do grupo. A pergunta do case: "Um carregamento de bebidas da sua empresa que seguiria para um porto internacional está contaminado, segundo uma avaliação qualitativa no porto de Santos, não há tempo hábil para produção de um novo lote. Qual é sua reação? "A resposta de um dos candidatos foi: "partindo do princípio que derramamento de petróleo em águas internacionais é algo muito preocupante, assumimos os prejuízos ambientais e demais resoluções do processo." Mas afinal, o que derramamento de petróleo tem a ver com bebidas contaminadas?



Amor, I love you - Uma atendente de uma empresa de RH ligou para um candidato para avisar que ele tinha sido aprovado para a próxima etapa de um processo seletivo. Do outro lado da linha, o estudante ficou tão feliz que não se contentou em agradecer apenas com um “muito obrigado”, fez questão de dizer “Eu te amo!”.



Fonte: http://msn.clickcarreira.com.br/querocrescer/2011/11/28/2884/tudo-pode-acontecer-no-processo-seletivo.html



Abraço



0 comentários:

Postar um comentário