Instrução de Sobrevivência - O Retorno do Rei

Matos, Queiroz, Souza, Yanaguita & Cavalcante
Abe, Brito, Adilson, Campos & Nonato
Bernardi, Moscone e Tomita

Após a Instrução sobre como preparar a caça fomos divididos em grupos de 5 Alunos e para cada grupamento foi entregue uma galinha (viva) para que ao cair da noite nos alimentássemos. Aquele seria nosso único alimento até a próxima manhã. Ouvi comentários como: “Eu não vou comer!”.

Pensei... “Vamos ver a hora que a fome bater. Eu vou comer esta porra!”... pausa para piada...



Um caipira passava com uma galinha em baixo do braço qdo um gozador perguntou:


- E aí? Vai comer cumpadi?


O caipira respondeu...


- Não... já comi... tô levando de volta pro galinheiro!



Voltando...

Decidimos então que nossa ave se chamaria “Ermengarda”. E foi assim durante todo o dia... pra lá e pra cá com a tal da galinha sempre debaixo do braço de algum dos componentes do grupo. De vez em quando uma das penosas distribuídas reclamava do desconforto durante a instrução e todos ríamos.

- Quero ver na hora de matar a bichinha... tão bonitinha... tadinha! – Eu ficava repetindo o dia inteiro pra aqueles que já demonstravam certo carinho pelo animal... só pra por pilha neles... e deu certo.

Durante o dia fomos incumbidos de montar uma “Base de Patrulha” no meio do mato para podermos “bivacar” durante a noite (Tradução: dormir ao relento). Durante os trabalhos de limpeza do local (desmatamento manual da pequena área) eu tive a felicidade de cortar um cipó e deste começou a sair água, não como nos filmes de guerra, tipo torneira, mas um fluxo contínuo de gotas. Resolvi então colocar um saco plástico na ponta cortada do cipó e amarrar para que a água fosse armazenada durante todo o dia. A idéia funcionou muito bem e puder beber aproximadamente um copo do tal líquido qdo retornamos à noite à base de patrulha. O sabor foi bom e lembrava água de moringa misturada com terra... acho até que minha mania de beber água em moringa de barro vem desta época, não sei, só sei que tinha uma destas na minha estação de trabalho até pouco tempo. Ou foi coisa de casa de avó?... segue...

Percebam que não nos alimentamos durante todo o dia, com exceção do café da manhã. No início do dia foi distribuído ½ pão francês e ½ xícara de leite com café, o famoso Caol (assunto para outro post), para cada Aluno. Os Oficiais fizeram isto só para atiçar nossos estômagos... e funcionou muito bem. Eu por exemplo, se não comer nada, costumo passar quase 24 horas na boa. Tudo bem q dá dor de cabeça e as vezes fraqueza, mas fome curiosamente não tenho, porém qdo dou uma mordidinha em um pão francês com manteiga e depois tomo um pouco de café com leite bem docinho... me tranformo em um animal!



Todos sabem como os adolescentes comem, logo, imaginem um cara de 19 anos, executando atividades físicas durante o dia inteiro e apenas com meio pão francês no bucho. Aquele café da manhã serviu apenas para abrir ainda mais nosso apetite. No final do dia alguns não agüentaram e desmaiaram durante o exercício... os nomes... desta vez vou poupar...



Continua no próximo post Instrução de Sobrevivência - A Caçada a Gollun



Abraço



Thanks: Yanaguita



2 comentários:

Anônimo disse...

Corrigindo a legenda:
- Não é o Henckes, é o Adilson, céro-céro-doissshhhh (que foi abduzido, ninguém mais teve notícias dele).
- O japa embaixo é o Tomita.

Abraço,
Yanaguita

Alexandre Moscone disse...

Eita nóis... valew! Tá corrigido! rsrsrsr

Obrigado pelo apoio Yanaguita!!!

Abraço

Postar um comentário