Instrução de Sobrevivência - A Caçada a Gollun

Ten Ronco na instrução de utilização do Morteiro 81


Passamos o dia em instruções e todos os deslocamentos eram a pé e em "acelerado"... não preciso dizer q os locais de instrução eram longes um do outro e q o sol batia na gente com toda força durante os percursos... em alguns casos tb durante a instrução, ou vcs acham q existia salas de aula, com bancos e ar-condicionado no meio do mato?

O dia foi voltado para o assunto e adivinhem... tivemos q montar as armadilhas para apanhar a caça. Lógico q naquela região não existe caça, a não ser umas ratazanas que mais pareciam gatos. Acho até q cheguei a ver uma delas com um gato na boca! rsrsrsr

Aí vem um novo desafio... pra montar as armadilhas tínhamos q contar com "meios de fortuna", ou seja, material disponível no terreno. Muita madeira e cipó... e de novo... tínhamos q cortar tudo isto com as mãos ou nossas facas desafiadas e pequenas...serrotes? hahahaha Q q é isto?


Foi um trabalho longo e duro (ui...) debaixo daquele sol. Aliás, só o EB consegue estas coisas... uma região q fazia um calor do caralho de dia e um frio da porra à noite! Os coturnos tb seguiam a regra... de dia esquentavam mais ainda os pés e a noite... esfriavam! Cassete, como isto é possível?!?!

No final do dia... por volta de umas 19:00 h... veio a ordem: Podem seguir para a base de patrulha q vcs definiram durante o dia e preparar suas "refeições".



Lembram da penosa? Então...

No local...

- Pessoal, o negócio é o seguinte... eu vou preparar a fogueira e sou voluntário a comer o primeiro pedaço, já q vcs estão de putaria! Só q vcs q se virem pra matar a coitadinha! - Falei com firmeza e morrendo de rir por dentro...

O Aluno Loeb se voluntariou para matar a Ermengarda e o Bezerra se prontificou a auxiliar. O 1º pq é natural do Paraná e, como tal, era acostumado a matar uns bichos por lá... e o 2º pq tava vesgo de fome!

Os outros 2 integrantes do grupo disseram q não participariam daquilo, ou seja, estavam apaixonados por uma galinha qualquer! rsrsr

O Loeb se posicionou e... deu com a faca na cara da galinha que estava pendurada de cabeça para baixo. Mais duas batidas e a galinha continuou chacoalhando e reclamando. O Bezerra perdeu a paciência, tomou a faca do Loeb e deu uma sequência de porradas na cara da bicha! Incrível... ela continuou a cacarejar e chacoalhar mais ainda, mesmo com a cara toda arrebentada! Q vaca! Ops... Q galinha!



Ele então... em um momento de fúria avassalador... decepou a cabeça do animal de uma vez só... tipo Samurai...

Não sei se vcs já viram, mas qdo se faz isto a galinha continua a se retorcer por algum tempo. Dizem q se soltar ela no chão ainda sai correndo, sei lá.

- Galinha... - disse ele numa calma assustadora... - Vc já morreu... Vc está morta... Morre galinha...

Enfim... ela morreu. Interessante é a forma que aprendemos sobre como tirar a pele do animal... faz-se um pequeno corte na coxa da galinha e introduz-se uma caneta BIC, sem a tampa, sem carga, utilizando tipo como um canudo dentro do corte feito... assopre e a galinha encherá q nem um balão. A pele então se desprende do corpo e é só cortar em V ou Y, já não lembro mais qual dos dois... é so cortar a porra toda, cassete!

Para o "churrasco" decidi preparar a moela. Cortei, virei do avesso e lavei todo milho mastigado pela galinha e q ainda estava dentro da moela. Faltava só temperar. Tempero... q tempero? Ah... lembra do sal do 1º post? Pois foi aí q ele entrou!

Espetei a carne em um graveto q achei ao lado da fogueira e comecei a assar o alimento. Após alguns minutos...

- Luz! Alguém ilumina esta porra aki pra eu ver se já esta bom! - Gritei.

Após algumas vezes fazendo isto repetidamente percebi q a parada havia ficado pronta. E ficou lindo, parecia o churrasquinho de gato da 7 de abril em SP. Restava saber se estava bom. Dei uma mordida e...

- Huummm... q delícia!

Foi o suficiente para todos começarem a "temperar" seus pedaços. Lembro que o Aluno Favato, um dos q mais sentiu a fome, parecia um coitado jogado no canto e roendo um osso de coxa ainda com algumas penas na ponta. Ou vcs estão imaginando que o aspecto do alimento preparado era lindo? Nada... as patas ficaram anexas! Coisa de macho mesmo! rsrsrs

Não quero ser exagerado, mas aquela galinha foi a mais gostosa que ja comi em toda minha vida!



E em todos os sentidos!!! hahahah

Continua no próximo e último post da série... Instrução de Sobrevivência - O Hobbit



Abraço



Thanks: Varguinha

As praca e outros bichos





















Abraço

GRU de um jeito q vc nunca viu


Abraço

Instrução de Sobrevivência - O Retorno do Rei

Matos, Queiroz, Souza, Yanaguita & Cavalcante
Abe, Brito, Adilson, Campos & Nonato
Bernardi, Moscone e Tomita

Após a Instrução sobre como preparar a caça fomos divididos em grupos de 5 Alunos e para cada grupamento foi entregue uma galinha (viva) para que ao cair da noite nos alimentássemos. Aquele seria nosso único alimento até a próxima manhã. Ouvi comentários como: “Eu não vou comer!”.

Pensei... “Vamos ver a hora que a fome bater. Eu vou comer esta porra!”... pausa para piada...



Um caipira passava com uma galinha em baixo do braço qdo um gozador perguntou:


- E aí? Vai comer cumpadi?


O caipira respondeu...


- Não... já comi... tô levando de volta pro galinheiro!



Voltando...

Decidimos então que nossa ave se chamaria “Ermengarda”. E foi assim durante todo o dia... pra lá e pra cá com a tal da galinha sempre debaixo do braço de algum dos componentes do grupo. De vez em quando uma das penosas distribuídas reclamava do desconforto durante a instrução e todos ríamos.

- Quero ver na hora de matar a bichinha... tão bonitinha... tadinha! – Eu ficava repetindo o dia inteiro pra aqueles que já demonstravam certo carinho pelo animal... só pra por pilha neles... e deu certo.

Durante o dia fomos incumbidos de montar uma “Base de Patrulha” no meio do mato para podermos “bivacar” durante a noite (Tradução: dormir ao relento). Durante os trabalhos de limpeza do local (desmatamento manual da pequena área) eu tive a felicidade de cortar um cipó e deste começou a sair água, não como nos filmes de guerra, tipo torneira, mas um fluxo contínuo de gotas. Resolvi então colocar um saco plástico na ponta cortada do cipó e amarrar para que a água fosse armazenada durante todo o dia. A idéia funcionou muito bem e puder beber aproximadamente um copo do tal líquido qdo retornamos à noite à base de patrulha. O sabor foi bom e lembrava água de moringa misturada com terra... acho até que minha mania de beber água em moringa de barro vem desta época, não sei, só sei que tinha uma destas na minha estação de trabalho até pouco tempo. Ou foi coisa de casa de avó?... segue...

Percebam que não nos alimentamos durante todo o dia, com exceção do café da manhã. No início do dia foi distribuído ½ pão francês e ½ xícara de leite com café, o famoso Caol (assunto para outro post), para cada Aluno. Os Oficiais fizeram isto só para atiçar nossos estômagos... e funcionou muito bem. Eu por exemplo, se não comer nada, costumo passar quase 24 horas na boa. Tudo bem q dá dor de cabeça e as vezes fraqueza, mas fome curiosamente não tenho, porém qdo dou uma mordidinha em um pão francês com manteiga e depois tomo um pouco de café com leite bem docinho... me tranformo em um animal!



Todos sabem como os adolescentes comem, logo, imaginem um cara de 19 anos, executando atividades físicas durante o dia inteiro e apenas com meio pão francês no bucho. Aquele café da manhã serviu apenas para abrir ainda mais nosso apetite. No final do dia alguns não agüentaram e desmaiaram durante o exercício... os nomes... desta vez vou poupar...



Continua no próximo post Instrução de Sobrevivência - A Caçada a Gollun



Abraço



Thanks: Yanaguita

Frases ao pé da letra...



















Esta eu conhecia como "pimenta no cú dos outros é refresco", mas tá valendo... 


Abraço

Thanks: Thi-Thi

Anti-Bullying - Uma forma legal de protestar


Emocionante... não sei se pq recentemente aconteceu aquela tragédia no RJ ou pq simplesmente eles fizeram algo novo e em equipe, mas realmente faz a gente pensar sobre como todos nós podemos contribuir de alguma forma.

Abraço

Instrução de Sobrevivência - As Duas Torres

Em pé: Yanaguita, Nonato, Brito, Queiros, Varga, Monzoni, Bernardi, Cavalcante, Vivan e Watanabe
Abaixados: Esteves, Henks & Souza
Deitados: Sacos V.O. & Moscone
... Ler post: Instrução de Sobrevivência - A Sociedade do Anel...

O segundo animal a ser preparado seria uma galinha. Com um tratamento um pouco diferente, já q o método utilizado para “desacordar” a ave era bater com a lateral da faca, tipo aquelas do Rambo, na cara do animal até que ele apagasse, somente então depenaríamos um pouco seu pescoço e o sangraríamos para q o sangue escorresse dentro de uma caneca posicionada logo abaixo do bicho. Este sangue, como dito anteriormente, seria utilizado como tempero ou até mesmo bebida.

-  Bom... vou querer voluntários para beber o sangue da galinha... não se preocupem que vou tomar cuidado pra não caírem penas dentro da caneca, ok? Mas tem que ser rápido porque se esfriar ele fica denso e mais difícil de encarar. Se empedrar vcs terão que utilizar uma colher! – Salientou o Oficial.

Claro que todos eram voluntários! No EB todos sempre são voluntários! Cassete...



Ocorre que a galinha defecou durante o processo e os excrementos acidentalmente caíram na tal caneca...
 
- Claro que agora não vai dar pra beber esta porra... quem será voluntário para beber o sangue direto do pescoço do animal? – Arriscou o Tenente... e desta vez percebemos que não seríamos obrigados a realizar aquela atividade, porém algo surpreendente aconteceu... todos os alunos se levantaram e formaram fila para saborear o delicioso quitute diretamente da fonte. Todos realmente foram voluntários naquele momento. É como o ditado diz: “Tá na chuva... Foda-se!”... ou algo parecido.

Chegou a minha vez... peguei aquele pescoço depenado, ensangüentado e com a baba dos poucos Alunos que me antecederam... estiquei-o... e suguei com força um pouco de sangue que ainda pulsava na galinha viva...

Lembro que, por mais água que eu tomasse durante o dia ou sal que engolisse, nada conseguia tirar aquele gosto de ferrugem que ficou durante horas na minha boca. Até hoje consigo sentir aquele gosto, tipo o de um perfume que fica na nossa lembrança, só que este foi o de um sabor muito amargo!





Thanks: Yanaguita

Amizade: Homem X Mulher



A "VERDADEIRA" AMIZADE FEMININA

Duas mulheres se encontram na rua, uma delas saindo do cabeleireiro:



Mulher 1: Olá, querida!!! Você cortou o cabelo?



Mulher 2: Cortei amor! Você não imagina com quem... Edson, aquele mago da tesoura.



Mulher 1: Maaaraaaviiilhooosooo. Ficou 10 anos mais moça.



Essas mechas, que bárbaro! Vou mandar fazer igualzinho. Foram luzes?



Mulher 2: Não menina, é uma técnica nova de clareamento que ele trouxe da Itália. Imagina que...



bla bla bla... (Meia hora depois...)



Mulher 1: Então tá bom querida. Corre pra casa que teu namorado vai morrer de orgulho da mulher que tem.



Mulher 2: Ai amiga, te adoro! Beijinhos!



Mulher 1 sai pensando: Como essa perua ficou ridícula! Será que ela não se enxerga? Não sei como aquele gato do namorado dela continua com ela. Se der mole eu agarro ele.



Mulher 2 sai pensando: Essa galinha deve estar morrendo de inveja do meu visual. Ainda quer fazer igual, vê se pode! Com aquele cabelo que parece um arame. Nem com implante!




A VERDADEIRA AMIZADE MASCULINA



Dois Homens se encontram na rua, um deles saindo do barbeiro:



Homem 1: Opa! E aí seu filho da puta? Tava cortando o cabelo, né?



Homem 2: Não jacu... tirei pra lavar!



Homem 1: Que merda de corte, hein? Tu tá parecendo um viado. O cabelereiro entendeu PRA BIXA ao invés de CAPRICHA é?



Homem 2: É... mas tua mãe gostou.



Homem 1: Falou então!...ah, manda um beijo pra aquela gostosa da tua irmã, viu?



Homem 2: Vai se fuder, seu corno! Até mais!



Homem 1 sai pensando: Esse cara...Gente finíssima!



Homem 2 sai pensando: Adoro esse cara... Muito gente boa...



Abraço

200 países, 200 anos, 4 minutos


Abraço

Instrução de Sobrevivência - A Sociedade do Anel

Em pé: Adelman, Rohe, Barroso & Moscone
Agachados: Varga, Henks e Montezuma
- Moscou... eu só te dou um conselho: Tente levar um pouco de sal para o acampamento de sobrevivência... vc vai entender quando estiver lá!

Profetizou meu amigo Adilson q trabalhava comigo na Empresa Paulista Seguros antes de eu ingressar no EB. Ele havia servido no 2º BPE um ano antes de eu entrar para o CPOR-SP e me passou algumas dicas sobre o temido acampamento de longa duração (7 dias) q eu enfrentaria em pouco tempo.

Sábio Adilson. O tal do sal foi determinante no decorrer da Instrução de Sobrevivência, talvez uma das experiências mais marcantes q vivi dentro do Exército Brasileiro e q provavelmente terei q contar em vários posts (Total de 3), já q me recordo "totalmente" deste dia, desde a alvorada até o retorno para à base do acampamento na manhã seguinte. Espero q gostem das histórias aki narradas.

Abraço e... como dizem nos filmes americanos... go, go, go! Alguns amigos preferem o move, move, move... tanto faz...

... Mal o toque de alvorada terminou e os Oficiais e Sargentos invadiram nossas barracas tocando o terror. Colocaram todos para fora e iniciaram a revista individual nos Alunos. Como estava dormindo no fundo da barraca tive tempo de perceber que o objetivo deles era retirar qualquer tipo de alimento que possuíssemos... era dia do temido Treinamento de Sobrevivência!

Rapidamente escondi o potinho de plástico com sal no fundo das calças e por incrível q pareça não fui pego durante a revista, acho q o sargento q me revistou não quis encostar no meu saco, exatamente onde eu havia escondido o precioso recipiente, ou vcs pensaram q tinha sido na bunda? Sai fora!

Após a minuciosa revista fomos deslocados para outra área do acampamento onde havia um tipo de “pau de arara” instalado, porém este não seria usado com os Alunos, pelo menos não naquela instrução.
O Oficial responsável, Ten Abiude, pendurou um coelho  pelas patas de trás no “pau de arara” e explicou como faríamos para preparar a caça no ambiente de selva e etc...

Disse que o coelho (branquinho, de olhos vermelhinhos e... vivinho da Silva) seria usado como exemplo de abate de mamíferos e q para o preparo das aves utilizaríamos a galinha como base... q em um deles deveríamos cortar o animal em Y e o outro em V e retirar as vísceras... que tb seriam utilizadas no banquete, etc... segue por aí... pô... já se vão 20 anos desde então...

E a gente lá... olhando pro coelhinho pendurado e pensando... “Será que eles vão matar o animalzinho?”... De repente, e como era da característica do Ten Abiud, ele interrompeu sua própria instrução...

- Chega desta porra! Vamos pro que interessa!

Pegou o coelho pelas orelhas, esticou o pescoço do bichinho e e deu um soco tão forte na nuca do animal que ele chegou a enrolar no tronco e retornou a posição inicial, tipo uma mola.

- Isto é para ele desmaiar e então podermos retirar seu sangue ainda vivo. Caso contrário a carne ficará com um gosto muito ruim, além do mais usaremos o sangue do próprio animal para “temperar” sua carne! – Continuou falando o Oficial normalmente... como se nada tivesse acontecido...

A partir daí acabaram-se os melindres e então pudemos focar mais no conteúdo da instrução do que na frágil vida do coelhinho que se esvaía as nossas frentes...



Continua no post Instrução de Sobrevivência - As Duas Torres

Abraço



Thanks: Varguerita



Ps.: Os títulos desta sequência de posts serão explicados apenas no último da série.

Real or fake?


Abraço

Visita ao Dentista


Abraço

Tranca rua

Amarula com Licor de Menta... um pouco pro Santo, zunfio?
Estes dias me contaram uma história interessante aki em Maputo, porém são necessárias algumas considerações antes q a lenda seja narrada.

Aki em Moçambique, como no Brasil, existem contos, superstições, crenças, ou chamem como quiser, sobre feitiçarias e coisas parecidas.

Alguns brasileiros se mostram surpresos com estas diferenças, mas como diz meu pai: "É pq sentam no rabo e olham o dos outros". Explico.

Todo brasileiro conhece a história do "nome na boca do sapo", não é? Pois bem, para os moçambicanos entenderem como funciona o negócio na Terra de Santa Cruz, aki vai uma crença de onde nasci...

Reza a lenda q se um macumbeiro (Feiticeiro) colocar o nome de uma pessoa dentro da boca do sapo, costurar e enterrar, a pessoa tb morrerá em alguns dias. Para quebrar o feitiço é necessário encontrar o sapo e tirar o nome de dentro da boca dele, ou algo do gênero, ok?

Pois bem, por aki existem coisas sobre enfeitiçar os animais para q ataquem outras pessoas, tipo alguém q o "domador" não goste. Exemplo, se um crocodilo come alguém no rio Zambeze, provavelmente parte da população dirá q foi fulano q enfeitiçou o animal e mandou este degustar a pessoa.

Existe um conto q gosto de usar para ilustrar tais diferenças culturais:

Uma senhora estava colocando flores no túmulo do marido quando vê uma japonesa colocando um prato de arroz na lápide ao lado. Ela se vira para a japonesa e pergunta:

- Desculpe-me, mas a senhora acha mesmo que o seu marido virá comer o arroz?

E a japonesa, calmamente, devolve:

- Sim. Vc não acha q o seu virá cheirar as flores?

Ai... esta doeu, não é? Então... respeite a adversidade cultural. Voltando...

Dizem q se a mulher africana, após o ato sexual, pegar o... como diria minha mãe... pano de bunda, se limpar, fazer umas mandingas e depois dobrá-lo, sem lavar, e guardar com carinho, o marido não conseguirá ter relações sexuais com outra mulher. Como um amigo meu disse... "O Gajo não fica teso!"... (Vai broxar!).

O cara q me contou esta história, por sorte (rsrsrs), era neto de um curandeiro famoso aki de Moçambique e me ensinou como quebrar este feitiço. E é tão simples desfazer quanto como para a mulher "trancar o tal do Zé Pilintra".

O Gajo deve urinar em uma garrafa, de qualquer tipo, deixá-la aberta em uma Encruzilhada e aguardar alguém, algo ou alguma coisa derrubar a garrafa. Pode ser carro, cachorro, vento, sei lá... derramando a urina no solo... o infiel estará livre para voltar a aprontar das suas.

Legal né?

Cobra encontrada no meio da estada
Tete - Moçambique
Outra q me contaram foi q um gajo qualquer teve "coisas" com uma mulher casada, porém esta estava enfeitiçada pelo marido. Ocorre q o feitiço consistia em deixar um suposto amante com trejeitos de uma cobra, tipo o cara no filme O Grande Dragão Branco com o Van Damme.

O LoverBoy em questão continua de cama, não fala coisa com coisa, e qdo anda parece uma Mamba Negra chacoalhando. Dizem q vai morrer.

Para quebrar este feitiço o gajo já não tem tanta facilidade como no caso anterior. Ele deve pedir desculpas ao marido traído para q o encanto seja desfeito.... fácil né? Hahahaha

Mas não pense q a situação para por aí... aki em Moçambique a traição não é tão tolerada como no Brasil. Existe uma possibilidade grande do amante levar a pior durante a confissão.

Neste caso o problema do cara ainda não acabou, já q ele não se lembra com qual mulher casada andou, logo... terá q pedir desculpas pra meio mundo na cidade para poder se livrar do feitiço...

Na minha opinião... vai morrer! Pelo poder do feitiço... ou pelos chifres dos maridos! rsrsrsrs

Almost 2 metros de comprimento
Esta não é Ilusão de Ótica!

Abraço

Thanks: Gune e Estrela

Quanto tempo vive uma Perereca?


Na sala de aula a professora pergunta à classe:

- Quantos anos vive uma perereca?

Sorteia um aluno para responder e por azar escolhe o Joãozinho.

A professora gelou!

- Em média 12 a 13 anos… – responde calmamente o menino.

A professora, aliviada e surpresa com a resposta, pergunta como ele chegou a esta conclusão.


- É fácil professora: porque depois disso nasce cabelo e ela vira 8V(3+4!!!


Não entendeu? Perceba q os caracteres se parecem bastante com letras... tente novamente e caso não consiga, segue a criptografia:


8B, VU, (C, 3E, +T e 4A


Abraço


Thanks: LL (Luiz Love)

SPFW ou SPFC?... São Paulo Fashion Week!

Quem tem Libertadores levanta a mão!!!


Abraço

Thanks: George

Uma história Africana

Post comemorativo... 20.000 acessos!
Obrigado por vc tb fazer parte deste blog!
Início em 8/9/10... q data interessante!______________________________________________________

Mulher atravessa a ponte Samora Machel - Tete
Detalhe para a forma como ela transporta o bebê...

Estou morando sozinho em Maputo - Moçambique e minha família só virá pra cá em alguns meses. Tudo planejado, não é? Mas quem consegue planejar o coração? ...

A vida de "solteiro" é complicada, porém sou obrigado a aproveitar as vantagens. Por exemplo, a mesa do computador eu já coloquei no quarto do casal. Minha mulher xiou...

- Vc tá louco! Pode por de volta no escritório!

Dei uma risada sarcástica e disse em tom grosso e alto:

- Aki quem manda sou eu! - E dei risada pra caralho...

Claro... 8.000 Km de distância... eu tenho que aproveitar a oportunidade de mandar um pouquinho. Tudo bem q na sequência, e após parar de rir, eu já emendei com tom romântico e uma voz de Barry White (clique para ouvir)...

- Calma amor... eu arrumo tudo antes de vc chegar... - Sou meio louco, mas não sou trouxa.

... tá, mas eu quero escrever hj sobre algo que me aconteceu qdo voltava para casa há alguns dias. Como moro sozinho eu não janto. Acho q é por preguiça de lavar a louça ou mesmo de fazer a gororoba.

- Alexandre, vc tem que fazer compras! - Disse minha mulher super preocupada.

E lá fui eu comprar os produtos de limpeza pra nova empregada usar no dia seguinte. Andei apenas 2 corredores do supermercado e me senti um inútil.

Que porra se usa pra limpar a casa? Pra tomar banho eu sei q é sabão de coco! Rsrsrsr

Não me apavorei e pedi apoio a uma das atendentes q papeava entre os corredores do local. Tarefa cumprida. Rsrsrs

Por outro lado não tive apoio no kit alimentação. Trouxe nas sacolas... 2 rocamboles, 1 sopão, 1 halls cereja (!!!) e... 1 baygon? Cara como sou sem noção! Hahahah

Outro dia jantei 1 mamão e 4 bananas... e enquando escrevo este texto tem mais duas me olhando. Depois mato outras 3 laranjas e um copo de Pepsi e vou dormir... na boa. Assim consigo acabar com toda a comida da casa e vou viajar sossegado pra algum lugar de Moçambique. Perceberam... acabei com toda a comida da casa! Minha mulher fica indignada. Claro q ela esta proibida de contar pra minha mãe... é capaz da velhinha vir aki só pra me dar uns cascudos! Rsrsrsr

Homem é uma desgraça. Já estou preocupado pq terei que lavar 01 prato, uma faca, uma colher e um copo q foram utilizados na "refeição"... ah... ainda tenho q recolher o "lixo" amanhã de manhã. Desculpe, mas prefiro uma jornada de trabalho.

Bom.. a verdade é que no caminho de casa existem 1 ou 2 bancas de frutas... bem... não imaginem estas q vcs veem em SP... ou pelo Brasil. Imaginem algo simples, bem mais simples... e com frutas bem mais simples tb.

Encostei o carro e uma humilde senhora se aproximou rapidamente para atender-me... tipo Drive-Thru.

- Boa noite patrão!

- Pode deixar... vou descer do carro para escolher as frutas.- Respondi com um tom amistoso.

Na banca, que era na verdade um plástico preto estendido no chão com algumas frutas em cima, existiam bananas, mamão, goiabas e uma espécie de laranja gigante q ela disse o nome, mas eu não entendi. Tudo muito simples, veja bem.

Uma das Bancas de Frutas perto de casa...
 
Pedi 5 bananas, 3 laranjas (Das gigantes), e 1 mamão... que no Brasil sairia por... sei lá... entre R$ 5 e 10... dependendo da região. Conheço lugares q sairia por quinzão.

- São 40 meticais patrão - Disse-me aquela senhora. (R$ 2,00)

Veja bem... não gosto q me chamem de patrão... é submisso demais, não fui criado assim... machuca... só q aki não adianta. É assim. Sempre tento, porém continua.

... abri a carteira e vi somente notas de MTZ 200,00. Naquele momento percebi q a senhora jamais teria o troco para aquela nota, aliás, acho que o troco, se existisse, seria toda a renda daquele dia.

Olhei então para aquelas 3 crianças curiosas que acompanhavam a senhora na beirada escura da estrada e entreguei-lhe a nota... ela olhou o dinheiro... colocou na luz para confirmar o valor e arregalou os olhos como se pensasse... e agora... não vou poder vender pq não tenho troco.

- Pode ficar... está certo. - Dei um tchau bem brasileiro, entrei no carro e saí sob o olhar atônito daquela humilde senhora negra e do sorriso espantado daquelas 3 crianças sob sua guarda. Acho q até agora ela esta pensando q me enganei com as notas.

Não me dei conta, mas tudo aquilo foi me tocar apenas qdo parei o carro em frente ao portão de casa. Olhei o lugar onde moro... o condomínio... o jardim e enquanto abria o portão comecei a chorar.

Foi uma mistura de sentimentos... saudade da minha mulher... do meu gordinho... de onde eu cheguei... do que já conquistei e... acima de tudo de onde vim. Não passei pela dificuldade q aquelas crianças passam hj, ou pelo q poderão passar neste futuro tão presente pra eles..., mas minha infância tb foi difícil e minha família passou muito aperto... hj tenho muito orgulho dos meus pais. Imaginei como os pais daquelas crianças se sentem qdo o dinheiro não entra.

Eles não vão ficar chateados pq não comprarão uma calça nova ou um video game e sim pq não terão o alimento para aquela noite. Coloquei-me no lugar deles e lembrei qtas vezes meu pai engoliu o orgulho e disse com um nó na garganta... "não tenho dinheiro pra comprar isto filho", ou "hj é só q temos pra comer em casa". Como me sentiria se tivesse que dizer ao meu filho "hj vc não vai comer"... chorei... e choro agora enquanto escrevo.

Garotos moradores de Capanga (Vila)
Tete - Moçambique
E conhecendo, ainda que pouco, a realidade de muitos aki... sei q aquele dinheiro, q pra mim não faz diferença... poderá ajudar aquela anciã no sustento da família. E nem acho que era tão senhora assim, mas tenho certeza q a dureza de sua vida lhe tirou tantos anos quanto alegrias.

A vida é dura... e não é só pra quem é mole!
Capanga, Tete - Moçambique
Abraço