Réveillon?

Réveillons memoráveis do mundo - NOVA YORK (Reuters Life!)

O site AskMen.com (www.askmen.com) selecionou dez destinos imperdíveis de viagem nessa data. A Reuters não se responsabiliza pelas escolhas:

1 - Praia de Copacabana, Rio de Janeiro

Vai ser difícil encontrar uma festa mais memorável do que esta: gente bonita, fogos de artifício, atmosfera de Carnaval e o incrível cenário da praia mais famosa do mundo. Mais de 2 milhões de pessoas vestidas de branco ocupam os quatro quilômetros de orla, acompanhando os shows em vários palcos e dançando até o amanhecer.  


2. Times Square, Nova York

É a mais famosa festa de Réveillon do mundo. A grande bola colorida que cai exatamente à meia-noite é vista por 1 milhão de pessoas "in loco", e por mais 1 bilhão pela televisão no mundo todo. Shows repletos de estrelas, fogos e muitos bares e boates nos arredores fazem desta uma das grandes festas do mundo. Está tão arraigada na cultura popular que muita gente acha que é preciso estar presente pelo menos uma vez na vida.


3. Porto de Sydney, Austrália

Sydney, uma das primeiras cidades do mundo a receber o ano novo, começa a celebrar às 13h do dia 31, e a diversão vai até a madrugada. Fogos de artifício, muita animação - e bebida nos bares - e o tradicional desfile "Harbour of Light" marcam o evento, que deve receber neste ano mais de 1 milhão de pessoas.


4. Frenchmen Street, Nova Orleans

Esqueça a Bourbon Street - é a "Rua dos Franceses" que os moradores de Nova Orleans escolhem quando querem festejar. O local é famoso por sua boemia, e você verá gente dançando na rua, bandas de jazz tradicional improvisando shows ao ar livre e provavelmente algumas fantasias excêntricas também.



5. Portão de Brandemburgo, Berlim

Se Paris e Londres são os pais refinados das festas de Réveillon, Berlim deve ser o tio beberrão. Mais de 1 milhão de pessoas se reúnem neste marco da capital alemã, com shows de fogos e luzes, apresentações de música, barracas de comida internacional e muita cerveja. Logo atrás do portão, mais de um quilômetro da rua 17 de Junho se transforma em discoteca ao ar livre. Não tem hora para acabar.



6. Shibuya, Tóquio

Esse é inquestionavelmente o centro de toda a diversão em Tóquio. Acompanhe a tradicional contagem regressiva em frente à estação de trens e rume em seguida para alguns dos muitos bares e boates da área - procure em especial o Center Gai, berço de muitas modas seguidas pelos jovens japoneses. Para um Réveillon mais tradicionalmente nipônico, vá ao templo Meiji Jingu, onde milhares de japoneses recebem o ano-novo. Também fica perto de Shibuya.


7. London Eye, Londres

Quase 1 milhão de pessoas viram a queima de fogos ali no ano passado. Como o meridiano de Greenwitch - longitude 0 - passa por Londres, a cidade é o epicentro da hora mundial. Há centenas de festas na capital, mas a mais significativa talvez seja a da London Eye, a grande roda gigante à margem do Tâmisa.


8. Central World ou Sanam Luang, Bangkok

Bangcoc se destaca por celebrar o Réveillon três vezes por ano - seguindo o calendário ocidental, o chinês e o tailandês. O Central World explode com shows, barracas de comida e cervejarias, enquanto o Sanam Luang, em frente ao Grande Palácio, tem uma programação mais tradicional, com comidas, músicas e dançarinas tailandesas.


9. Champs-Elysées, Paris

A partir das 21h locais, este é o lugar para estar em Paris. Pessoas chegam de toda a França trazendo suas bebidas. De lá, é possível ver a Torre Eiffel se transformando em um grande espetáculo pirotécnico. Não existe maneira mais romântica e refinada de celebrar o ano-novo junto com milhares de outras pessoas.


10. Las Vegas Strip, Las Vegas

A Cidade do Pecado fica um pouco mais pecaminosa quando a rua dos hotéis de Las Vegas é interditada para o trânsito e tomada por uma gigantesca festa. À meia-noite, o indefectível show de fogos chamará sua atenção. O clima é de loucura total, e pela única vez no ano é permitido beber nas ruas - milhares de pessoas estarão fazendo isso.

 Abraço

Espíritos

Moni & Sandra
Sempre ouvi dizer que as crianças conseguem conversar com os anjos ou até mesmo com os mortos, sei lá, algo relacionado a ainda não ter perdido a inocência ou coisa parecida. Fato é que no enterro da minha avó (Ver post O Velório) minha sobrinha, naquela época com apenas alguns anos de idade, disse para minha mãe e minha irmã que minha avó estava próxima a ela...

- Olha vó! A bisa está ali dentro! – E apontou para um tanque cheio de água que existia no cemitério, próximo ao local onde velávamos minha vó Délia.

Sou meio cético para estas coisas, mas tb aceito bem novas idéias ou coisas que não consigo entender muito bem, porém que tenham certa coerência. Por exemplo, eu acredito em Deus e Jesus Cristo e, desculpem, somente com fé podemos achar coerência na existência deles. Com o passar dos anos, aqueles com o olhar mais apurado e voltado para isto, percebem muitas coisas que somente fazem sentido com a existência de uma força maior. Destinos, milagres ou coincidências, tanto faz.

Numa noite destas meu filho, do nada, soltou um comentário diferente e que demonstrou que ele havia recebido aquela informação de outras fontes que não a escola ou da nossa educação. Não consigo me lembrar o que foi, mas era algo interessante e sábio demais para a idade dele.

- Matheus, onde vc ouviu isto? – Perguntei, já interessado de onde meu filho recebia outras informações, tipo, estranhos, TV...

- Do vovô Toninho. – Respondeu com serenidade.

Era tarde e eu o estava colocando pra dormir. A casa estava em silêncio e do quarto minha mulher conseguia ouvir claramente nossa conversa. Fiquei intrigado e comecei a fazer perguntas pra ele já com a intenção de saber se meu moleque tinha “estabelecido contato” com meu falecido sogro...

- É mesmo? E onde vc viu o vovô?

- Aqui no meu quarto...

Sogro Toninho
Meu filho ainda não formava muito bem as frases e tinha certa dificuldade em estabelecer uma seqüência lógica em uma história, então fui tentando montar a situação através das respostas que ele fornecia, porém ele não estava cooperando muito e em determinado momento me interrompeu...

- Papai... o vovô mandou vc fazer uma coisa...

Cara... deu até um calafrio. Do quarto eu consegui ouvir minha mulher engolindo seco e se ajeitando na cama pra poder ouvir melhor. Caraca... agora eu descubro se meu gordinho realmente anda falando com o espírito do Seu Antônio...

- Pai... o vovô Tonhinho... disse que vc tem que comprar um monte de presentes do BAKUGAN pra mim! - Respondeu o safado fazendo cara de pilantra...

Matheus - 2006
Beijo sogro... saudade.

Olé!


 
Ai, ai ai!!!
Abraço

Subaqueira danada!



É fraquinho, sô...

Abraço

Torrequedismo

O Salto
Em 1991 o CPOR levou o Curso de Infantaria para visitar instalações Militares no RJ e uma das Unidades em que mais “interagimos” foi a Brigada Paraquedista...
 
A Torre
Sobre os paraquedistas do Exército posso adiantar algumas curiosidades:
  • Por serem os únicos do EB a usarem coturnos marrons, chamam o restante dos Militares de “pé preto”;
  • A amarração do coturno deles tb é diferente do restante dos Militares e, muito bonita, por sinal;

Amarração tipo Pqd
  • Além da coragem inerente à atividade (afinal saltar de um avião não é coisa pra qualquer Zé Mané) o preparo físico destes Militares é invejável. Os melhores corredores do EB geralmente serviram na Brigada Paraquedista e mesmo os Paraquedistas Militares mais rechonchudos são bons na tal da "corridinha mixuruca";
  • Odeiam a frase "pular do avião". O termo correto é "saltar";
  • É uma Tropa de Elite e o espírito de união é acima da média;
  • A confiança no companheiro é extrema, já que a preparação do equipamento algumas vezes é realizada pelo outro combatente, quase sempre um subordinado.

Na visita não teve “ralação” e nem precisou. Foram explanadas diversas técnicas de treinamento e apresentados vários materiais usados nos saltos, porém deixaram a surpresa para o final.

- Atenção! Todos os Alunos do Curso saltarão da Torre! Quem amarelar lá em cima, eu vou empurrar! – Profetizou nosso Instrutor Chefe do Curso.
 
Nunca fui cagão e nas atividades do Exército sempre era voluntário, mas saltar de uma altura destas?

Diploma de Torrequedista
A Torre servia pra preparar o combatente para a posição correta de salto e tb para acostumá-lo com a atividade “se jogar”. Percebe-se que a "cabine" da Torre de salto simula a porta do avião, porém a sensação de segurança de estar pendurado não existe. Na foto parece que  Militar salta com as tiras já esticadas, mas na realidade elas ficam soltas nas costas como se não existissem, ou seja, vc salta para o nada! Tipo Bungee Jumping. De repente vem o tranco e a partir daí se torna uma tirolesa normal, como aquelas que encontramos nos passeios civis de arvorismo.

- Moscone! Vc vai imitar o Gil Gomes lá em cima! – Determinou o Tenente Abiud.

Manda quem pode e obedece quem tem juízo... e lá vou eu, após gritar o texto pré-determinado e imitando a voz do meu ídolo...

- A porta do avião! Vou Saltar! Velame! - E Zummmm para baixo....

E isto foi o mais perto que cheguei de um salto de paraquedas, bungee jumping, ou qualquer coisa do gênero.


Aluno 1014 - Moscone
Abraço

E se Jesus nascesse em 2010?


Abraço

Vc se acha inteligente?



Kim Ung-yong
Um menino prodígio dos tempos modernos. O coreano Kim Ung-yong nasceu em 7 de Março de 1963. Ele consta no Livro dos Records Guinness, na categoria QIs mais altos, com uma pontuação de 210. Kim começou a falar com 6 meses e aos 3 anos de vida conversava fluentemente em japonês, coreano, alemão e inglês, a ponto de compor poesias nesses idiomas. Suas habilidades intelectuais compreendiam também a matemática mais avançada. Aos 6 anos Kim foi matriculado na Universidade de Seoul. Aos 9 anos recebeu o título de doutor Honoris Causa em Matemática Espacial e Cálculo Diferencial e aos 12 anos também recebeu o título em Física Nuclear e foi considerado o gênio mais completo da história da humanidade. Hoje em dia ele é professor de universidade na Coréia. Chupa que é de uva!

Abraço

Merry christmas

Matheus em 2005
Nesta época de Natal fico muito sentimental e curto muito esta atmosfera de família, confraternização e tudo mais. Uma das coisas que gosto de fazer dias antes do natal é assistir alguns filmes sobre o tema juntamente com minha mulher e meu filho. Nesta batida minha melhor indicação de cinema para aproveitar este clima é a animação “Expresso Polar”.

O filme é de 2004 e conta com alguns personagens baseados no ator Tom Hanks. Já assisti várias vezes e a cada uma delas me emociono com a mensagem de fé e inocência que este desenho transmite, aliás, como poderia não gostar de uma seção de cinema ao lado das duas pessoas mais importantes da minha vida: Meu gordinho e meu colchãozinho (Ver post Mara Cogo).

Mara Cogo em 2001
Este vídeo é para os mais saudosos... até hoje minha família canta esta canção na noite de Natal...


Feliz Natal a todos!

Saco de brinquedo

Matheus e Mara Cogo - Av. Paulista em 2006

Não tem o que falar, fique quieto. É melhor as pessoas ficarem na dúvida se vc é um idiota do que, após vc abrir a boca, elas terem certeza.

Era época de Natal, e um cliente do Karaokê (Ver o post A Foto Perfeita ou Uma História de amor)  resolveu me testar...

- E aí Moscou, vai se fantasiar de Papai Noel este ano?

Sem pestanejar devolvi...

- Porquê? Vc tá a fim de ver o meu saco?

Perco o cliente, mas não perco a piada.

PS: Ele nunca mais voltou e... Foda-se! rsrsrsrs

Momento cultural: PS vem do latim. É a abreviatura de "post scriptum" . Significa “o que vem após o que foi escrito”.

Abraço

Placas Motivacionais
















Abraço

Thanks: Augusto

Profissão Office boy


Moscouzinho
Comecei a trabalhar com 14 anos em uma Corretora de Câmbio no Centro de São Paulo. O proprietário da empresa era vizinho do meu pai e me contratou, na amizade, como Office Boy (Ver posts Moscou - 1987 e Idade - 14 anos). Naquela época existiam 2 tipos de Office Boy: o de rua, que andava de ônibus o dia inteiro ou camelava pelo centro de SP, e o de escritório, mais famoso como Contínuo, um pouco mais chique e que realizava na maioria das vezes serviços internos.

- Alemãozinho! Preciso que entregue esta documentação em Pirituba. – Ordenou o chefe dos Boys...

- Mas seu Adilson, são quase 15:00 h. e o expediente só vai até as 17:20! - Choraminguei sem sucesso...

Grandes merdas... tinha que ir... e eu fui, que nem uma bala. Eu já conhecia o lugar, caminho, ônibus que iria tomar e até onde era ponto que deveria esperar a bumba... na Rua Xavier de Toledo, ao lado do extinto "venha correndo" Mappim e próximo ao "eterno em reformas" Teatro Municipal.

Rapidamente atravesso o Viaduto do Chá e quando viro a esquina vejo o busão chegando e a apenas poucos metros do ponto. O semáforo estava fechado e alguns carros aguardavam parados à frente do coletivo. Percebi que não havia ninguém aguardando a chegada do ônibus e que este não pararia para poder aproveitar o sinal aberto. Apressei-me no encontro dele e me posicionei na porta de trás. Sim, naquela época ainda se entrava pela porta de trás, e mais, quando o ônibus chegava no ponto final todos desembarcavam e caso desejassem seguir viagem no mesmo coletivo tinham que pagar a passagem novamente. Isto para um Office Boy significava uma rica parte do salário.

Dei 3 soquinhos na porta para que o motorista abrisse. Ele olhou pelo retrovisor... e me ignorou. Bati mais 3 vezes na porta... ele olhou de novo no retrovisor e apontou para o ponto de ônibus que estava a alguns metros à frente, e... sumiu do retrovisor. Eu ainda conseguia ver apenas parte de seu ombro.

- Filho da puta. Tá de sacanagem!

Isto era normal. Os Office Boys tocavam o terror na busanga, então os motoristas e cobradores descontavam da maneira que podiam, passando direto nos pontos de ônibus ou fazendo isto... só liberar a entrada quando a porta de trás chegasse exatamente no ponto.

Acontece que eu não podia perder aquela chance de ouro. Com aquela partida eu poderia sair no horário do trabalho (Picar o cartão às 17:20 h.) e ainda chegar a tempo para a aula noturna do Colégio. Decidi então tentar novamente. Dei mais 3 socos no vidro da porta de trás... o motorista apareceu de novo no retrovisor, ficou me olhando, mas não abriu a porta... Comecei a gesticular bastante e a falar, sem emitir nenhum som, para que ele abrisse a porta pra eu entrar... mas o motorista motorista voltou a sumir do retrovisor, completamente.

Fiquei puto. Novamente bati na porta do ônibus, só que agora com a palma da mão aberta, com força. Parecia que o vidro da porta quebraria tamanha foi a violência das pancadas... Desta última vez o motorista nem mesmo apareceu no retrovisor, porém a porta se abriu. Entrei triunfante, como se tivesse vencido uma batalha...

- É isso aí caralho... se não abrisse eu arrombava... – Entrei falando grosso, mas bem baixinho.

Estranho. Todos me olhavam assustados, ou seriam curiosos? Sei lá... passei por alguns bancos... um cara me olhou e eu esbravejei...

- É foda, né?

Ele deu com os ombros sem dizer nada. Sentei-me bufando, tipo,” tô nervoso”, “não mexe comigo!”.

O ônibus então deu partida, andou os poucos metros que faltava para chegar ao ponto e parou... Pensei:

- Cassete, todo este mico e o busão parou pra pegar alguém. Não precisava nada disto.

De repente todos começaram a se levantar, passar a catraca e descer do ônibus... e eu lá... sem entender nada.

- Vamos moleque, vc tem que pagar e descer – Disse o cobrador, gesticulando e apontando a roleta.

- Porquê? – Perguntei indignado e já afrontando sua autoridade.

- Porque aki é o ponto final!

Abraço



Thanks: Kátia

Churrasco: Quem leva a carne?

Porque a bebida já está a caminho...




Quero ouvir alguém dizer... "Eu não bebo Heineken!"

Abraço

Filhos de TI


Abraço

Thanks: Wagner

Sub Novaes

SubTenente Novaes
- Novaes! Qual a escalação do Uruguai na final de 50?

- Tenente Moscone... Militar competente, bonito, esbelto...

- Não enrola Novaes, fala logo!

- Maspoli, Mathias , Gighia, Julio Perez, Schiafino, Gambeta, Obdulio Varela, Rodrigues Andrade, Miguez e Moran... Ah! O Técnico era o Freitas Solich.

Então todos caíam na risada. Claro que eu perguntava isto sempre que a cantina estava cheia de soldados. Fiz isto tantas vezes que decorei a maior parte daquele time que bateu o Brasil em 50 no famoso "Maracanazo".

Como comentei anteriormente (Ver post Soldado Anônimo) o Sub Tenente Novaes tinha uma cantina dentro do 2º BPE, tanto na Abílio Soares como depois em Osasco. Militar reformado, não sei se ele chegou a combater realmente, o que sei é que ele fez parte da força de paz da ONU no Canal de Suez. Gente da melhor qualidade!

É sabido a dificuldade que o EB tem em conseguir recursos do Governo para custear tanto a manutenção das instalações quanto suas raras e necessárias melhorias, porém o empenho dos militares de cada Unidade e as rotineiras doações de civis simpatizantes possibilitam manter nosso glorioso Exército ainda na ativa. O Sub Novaes era um cara de contatos e, dizem, que ele foi um dos grandes responsáveis pela construção do Quartel na Abílio Soares devido às doações que conseguia para o 2º BPE, além de outras contribuições... a lista é extensa!

Meu amigo Fausto (Post Jesus on-line) serviu na PE em 1991 como Sd Motorista e contou que em certa ocasião levou o Sub Novaes de Vtr pra comprar ou receber doação de algum material, não me lembro bem, na região da marginal Tietê - SP. Curiosamente durante a missão, eles foram abordados por um civil...

- Novaes! Meu grande amigo!

Era o apresentador de TV Raul Gil que se aproximou e deu um grande abraço no Sub Tenente.

Este tipo de história vc só conseguiria ouvir dos outros... o Sub Novaes era muito humilde para contar vantagem sobre alguma coisa.


Abraço amigo, esteja onde estiver!

As 10 regras do Futebol de rua

Futebol de rua na chuva... ai que saudade!

1. A BOLA

A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a lancheira do irmão menor.

2. O GOL

O gol pode ser feito com o que estiver à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, chinelos, os livros da escola e até o seu irmão menor.

3. O CAMPO

O campo pode ser só até o meio fio da calçada e, nos grandes clássicos, a extensão poderá ser considerada no quarteirão inteiro.

4. DURAÇÃO DO JOGO

O jogo normalmente vira 6 e acaba 12, pode durar até a mãe do dono da bola chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

5. FORMAÇÃO DOS TIMES

Varia de 3 a 70 jogadores de cada lado. Ruim vai para o gol. Perneta joga na ponta, esquerda ou a direita, dependendo da perna que faltar. De óculos é meia-armador, para evitar os choques. Gordo é beque.

6. O JUIZ

Não tem juiz.

7. AS INTERRUPÇÕES

No futebol de rua, a partida só pode ser paralisada em 3 eventualidades:

a) Se a bola entrar por uma janela. Neste caso os jogadores devem esperar 10 minutos pela devolução voluntária da bola. Se isso não ocorrer, os jogadores devem designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de depredação.

b) Quando passar na rua qualquer garota gostosa.

c) Quando passarem veículos pesados. De ônibus para cima.

Bicicletas e Fusquinhas podem ser chutados junto com a bola e, se entrar, é Gol.

8. AS SUBSTITUIÇÕES

São permitidas substituições nos casos de:

a) Um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer
lição.

b) Jogador que arrancou o tampão do dedão do pé. Às vezes... o mesmo acaba voltando a partida após utilizar aquela aguá santa da torneira do quintal de alguém.

c) Em caso de atropelamento. Às vezes.

9. AS PENALIDADES

A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar o adversário dentro do bueiro.

10. A JUSTIÇA ESPORTIVA

Os casos de litígio serão resolvidos na porrada, prevalece os mais fortes, quem tiver mais irmãos ou quem pegar uma pedra antes.

Bom divertimento!

Abraço

Thanks: Wagner

Acampamento EG/CCSv - 1996 (Vídeo Completo)

1º Ten Moscone - 1ª Cia PE
Estes vídeos fazem parte do acervo pessoal do 1º Tenente Moscone e tem duração total aproximada de 1 h 20 min.

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 1)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 2) - Sem áudio

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 3)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 4)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 5)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 6) - Sem áudio

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 7)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 8)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 9)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 10)

Acampamento 1996 EG e CCSv + Formatura (Parte 11)


Abraço

São Paulino?

Foto do Tio Chicão... no Google Street!
Início da década de 80 - Um vizinho nosso convidou eu e meu tio Chicão para assistir ao clássico São Paulo X Corinthians no estádio do Morumbi. Como comentei no post, ATARI - Um convite à inocência, a situação em casa não era muito boa e não tínhamos grana para pagar as a entradas... o ônibus... o lanche, ou seja, não iríamos.

- Eu pago, mas vcs terão que ficar comigo na torcida do São Paulo. - Avisou nosso amigo São Paulino.

Aceitamos de imediato, afinal não era sempre que conseguíamos assistir um jogo do Timão, ainda mais na faixa!

Domingão, tempo fechado, mas sem chuva, e lá fomos nós, eu, meu tio Chicão e o vizinho pagante Douglas. Tudo muito bom, tudo muito legal. Já dentro do famoso estádio panetone (Redondo e cheio de frutinhas) nos posicionamos num local muito bom na arquibancada, porém no meio da torcida do São Paulo. Não foi do lado, na parte de baixo ou na de cima, e sim no meio da bicharada.

Uns 100, 110 mil torcedores no estádio. Isto mesmo, naquele tempo o Morumbi balançava muito mais e suportava 120 mil pessoas... na boa. Acho que encolheu de umas décadas pra cá, não sei. Meu vizinho estava com a camisa oficial do São Paulo, aquela branca tradicional, com a pizza no meio, muito bonita, e eu e meu tio com “roupas civis” para não dar bandeira. É pessoal, no início da década de 80 já rolava um atrito forte entre torcidas, um pouco menos que hoje, concordo, porém negócio de “assistir o espetáculo”, foi bem antes dos anos 80 e naquela época já era "proibido" entrar no meio da torcida adversária com a camisa do clube amado.

Começa o jogo... e que jogo feio. Pra resumir não aconteceu quase nada de bom o jogo inteiro. Dizem as má línguas que o Sócrates estava meio chumbado naquele dia (Manguaçado!). E eu lá, meio desligado da partida e olhando pro outro lado do estádio... tudo preto e branco e cheio de maloqueiros. Deste lado, milhares de bambis engomadinhos e comportados. Caramba, do outro lado pelo menos eu estaria ouvindo a torcida empurrar o time, pois a torcida do São Paulo já naquela época, só se empolgava quando o time estava bem na partida.

Começou a esfriar no Morumbi e eu lá, travelling on the mayonaise (Ver post English for Everybody). Veja bem, 10 anos de idade, com fome, frio, num jogo chato pra cassete e sem poder gritar um pouco pra acelerar as partículas, tava em outra dimensão. De repente, jogada pela esquerda, cruzamento não sei de quem e o Magrão escorrega na pequena área e empurra a bola pra dentro do gol do Valdir Perez...

- Gol!!! – Levantei e gritei de sopetão.

Meu tio me puxou pelo fundo das calças e, não sei como, "gritou baixinho"...

- Senta Alemão...

- Aí, esse moleque é corintiano? Aí, esse filho da puta, é corintiano! – Começaram a gritar imediatamente.

Os são paulinos devem ter ficados muito nervosos... uma torcida tão educada e xingando daquele jeito... foi impressionante!

- Ô tio... não foi gol do São Paulo? A gente não faz gol deste lado? – Comentei rapidamente em voz alta pra tentar despistar...

- Esses filhos da puta são corintianos! São corintianos!  - Alguns gritavam.

Meu tio levantou e...

- Se liga aí porra! Não tá vendo que é criança! O moleque não entende!

E eu lá com cara de paisagem e tentando fazer cara de desentendido, mas não estava colando. Acho que meus cabelos loirinhos e os pequeninos olhos verdes confundiram os caras um pouco, mas meu tio... é um negão que ía acabar entregando a rapadura. Esperamos uns 5 min, levantamos e saímos de fininho sob comentários nada amistosos da torcida São Paulina. E o outro lado em festa, em preto e branco, bandeiras agitadas e com um bando de loucos gritando...

Paulo, Sidnei, Léo, Matheus, Moscou, Vitor & Mandão
Corinthians 0 X 1 Bahia - 2008
Abraço

São Paulo da Garôa

Avenida 9 de Julho


Avenida Cruzeiro do Sul - 1957


Marginal Tietê - 1960


Rua Teixeira Leite - 1956


Túnel do Anhangabaú - 1963 


Vale do Anhangabaú


Vale do Anhangbaú - 1967
Abraço

Thanks: André