Blindado assassino

Cabo de Guerra rolando...

Os instrutores do Curso Básico do CPOR organizaram um cabo de guerra para o término do acampamento e a competição correu sem problemas, mas uma tragédia passou perto de acontecer durante o embate. Em relação à disputa e, só para constar, o 1º Pelotão ficou com o primeiro lugar, porém o Maj de Cavalaria resolveu refazer a disputa final diminuindo a equipe de 25 para 15 alunos. Perdemos. Interessante.

Ocorre que nosso pelotão era mais forte em conjunto e o 5º Pelotão contava com alguns bombadões fedorentos (Ver post Subaqueira Danada), mas com um grupo total mais fraco... O Maj, simpatizante do 5º Pelotão, tb sabia disto e... mesmo com todo o sistema da competição ter acontecido com 25 para cada lado... ele resolveu melar a brincadeira e refazer a final. Coisas do EB. A verdade é que se não ocorresse a segunda final provavelmente estaríamos dentro das barracas no momento do acidente... sei lá.

Devido a revolta dos participantes em geral (O 2º Pelotão era nosso aliado e os 3º e 4º se sentiram tb prejudicados) foi necessário que os instrutores dominassem a situação e aplicassem a famosa “lição de moral” no Corpo de Alunos.

A foto abaixo foi tirada “por debaixo dos panos” pq os responsáveis pela tropa sabiam o tamanho da cagada que aconteceu naquele dia e não tinham interesse que estas informações vazassem. Agora tá na NET.

Área de acampamento - M113 assassino ao fundo
Em destaque, Aluno Campos

Percebam que ao fundo existe um Blindado M113 estacionado, né? Errado. Ele está ali pq acabou de passar por cima de duas barracas para 10 praças que estavam montadas naquele local. Nós estávamos sentados na área central descampada, bem próxima ao blindado e a poucos metros das barracas. Pra se ter uma idéia... existiam 150 alunos neste pequeno espaço... passou muito perto.

Lembro que o Cb Motorista e o Cap do PMT tentavam consertar o blindado há alguns metros da área das barracas quando subitamente o blindado saiu em disparada morro acima. Sem condutor e nem mesmo passageiros. E para a infelicidade dos dois, e nossa, o blindado estava voltado para a área de acampamento.

Arregaço
O M113 possui uma rampa na traseira para o embarque da tropa e foi por aí que o Cap consegui correr, subir no blindado, assumir o comando e desviá-lo exatamente no momento em que ele passaria por cima da tropa... no caso eu tb.

Tá com vergonha, tá?!? Pq tá escondidinho?!? Rsrsr
Do lado esquerdo da foto existiam mais duas barracas. Estávamos em forma, de costas para as barracas e ouvindo o Major falar. Lembro de olhar para trás por causa de um barulho que crescia exponencialmete quando de repente... saiu um blindado de dentro de uma delas... tipo Voalá! Com um cara de óculos no comando, semblante desesperado, tentando controlar aquele trombolho. A ação demorou apenas alguns segundos... que mais pareceram horas.

Foto tirada pelo Aluno Meiguins durante o acampamento
A máquina fotográfica tb foi danificada durante o acidente
Muito equipamento foi destruído naquele acidente, desde mochilas e material pessoal dos Alunos até Fuzis que estavam dentro das barracas. Acho que uns 6 ou 7 tiveram que ser recolhidos para o Arsenal de Guerra devido estarem com quebrados ou com seus canos totalmente tortos. O meu foi um deles.

Para saber mais acesse: Facebook CPOR - 1991

Abraço



4 comentários:

Anônimo disse...

É Moscone, dessa aí eu lembro bem. Se não fosse a marmelada, acho que nós dois e mais uns amigos seríamos umas cruzes pregadas numa colina em Barueri...

Yanaguita

Alexandre Moscone disse...

Hahahah... Esta é uma das histórias do EB que mais me arrepiam... passamos perto!

Abraço

Anônimo disse...

Como sempre, deu m_rda pq alguem teve "preguiça":
De noite haveria uma instrução de acuidade visual e auditiva. Os Instruendos iriam ficar sentados em um barranco que dava vistas a uma ravina e um barranco em frente, como uma "arquibancada natural". Ocorre que a "arquibancada" estava tomada de mato, capim alto. Ai alguem teve a brilhante ideia: "em vez de baixar o mato na foice ou no facão, vamos baixa-lo passando com o Blindado". Feito o serviço com o M113, usado como um "trator", ele foi deixado ligado, engatado (descobriu-se dps) e com o freio-de-mão acionado. O freio-de-mão é suficiente para segurar as 10ton do M113 mesmo engatado, não fosse... não fosse o fato de estar numa ladeira, apontado morro acima. Inclinado, o peso do Blindado arrebentou o cabo do freio-de-mão, como estava engatado, começou a andar morro acima... e "barracas acima".
"Foi lindo", ver o Cap Paulus (apelido "Paulus Limbus Obesus", dai vc imagin a silhueta do figura!) correndo atrás do M113 desgovernado, como quem corre atrás de galinha fujona.
Se tivesse gente nas barracas, seriam baixas fatais.
Mas Deus é brasileiro e Jesus foi R/2 de Infantaria! :)
Passei os últimos 2 dias do exercício sem fuzil (benção!) pq o M113 passou bem por cima do meu equipamento. Pessoalmente não perdi nada. Só uns biscoitos (escondidos, claro!) que viraram "farofa" :). Mas do "material da fazenda nacional", meu fuzil virou um "L" com o cano torcido a 75graus (para dar tiro na esquina!?); minha marmita "lacrou" com os talheres dentro e meu cantil virou pastel... Dps o Sgt Salazar não queria me dar outro: "Aruno: vai ficá com esse cantir memo. É só beber menas água!" Típico dele.

Ótimo lembrar, Moscow! Valew!
:)
< / >.

Alexandre Moscone disse...

Este texto é seu Varguinha? Pq já é um post pronto! hahahaha

Vou acabar fazendo posts só dos comentários... estão melhores do q estas merdas q eu escrevo! hahahah Foda-se! hahahaha

Abraço a todos e valeu!

Postar um comentário