Compromisso ao 1º Posto

Leonardo, Seródio, Varga, Bernardino, Daher
Sersósimo, Andrade e Moscone
Funciona assim... todo Militar nomeado ao primeiro posto deve prestar o compromisso de oficial, mas este procedimento não é tão simples quanto parece. Além da tropa formada e de Altas autoridades Militares presentes, a solenidade geralmente é estendida para familiares. Até aí nada demais, só que o compromisso em si é um tanto peculiar...

O local da Formatura fica totalmente em silêncio no momento do compromisso, então o recém promovido executa individualmente o movimento de “Apresentar Arma” com a espada, olha para o Pavilhão Nacional e diz em voz alta:

"PERANTE A BANDEIRA DO BRASIL E PELA MINHA HONRA, PROMETO CUMPRIR OS DEVERES DE OFICIAL DO EXÉRCITO BRASILEIRO E DEDICAR-ME INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA"

Amém e sinal da Cruz...

Parece simples não? Pois não é. Os militares que realizam este compromisso são inexperientes e geralmente estão bem nervosos no momento da solenidade, logo, acabam participando dos maiores micos militares. Alguns se preocupam com o texto a ser dito e esquecem de realizar o movimento correto com a espada, outros misturam tudo o que deve ser dito e alguns simplesmente travam no momento da fala... chega a ser deprimente.

Na minha carreira militar acompanhei alguns compromissos individuais e em certa vez ouvi um Aspira gritando...

"PERANTE A MINHA HONRA E PELA BANDEIRA DO BRASIL, PROMETO DEDICAR-ME INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA e CUMPRIR OS DEVERES DE OFICIAL DO EXÉRCITO BRASILEIRO"

Confunde mesmo, né? Aposto que vc voltou lá pra ver o que está errado! Rsrsrsrs

Em outra situação o cara teve a moral de parar na metade e começar tudo de novo, até mesmo os movimentos de espada... desde o começo! Deprimente e constrangedor.

Na minha lembrança mais marcante o Aspira travou na metade do compromisso, por sorte ele era o último a falar e... a Banda entrou tocando para disfarçar a gafe e o cara se tornou um descompromissado até hoje! Hahaha

Nunca tive problemas pra falar em público, mas esta situação exigia muita calma e concentração. Calma eu sempre tive, mas concentração e qualidade em decorar textos... nem tanto. Lembro que aquela semana de preparação foi horrível, já que eu tinha certeza que o compromisso seria um desastre, porém neste evento fui beneficiado pelo destino.

Ocorre que o compromisso pode ser coletivo, com todos falando ao mesmo tempo, caso o nº de oficiais seja muito grande e, como podemos ver na foto acima, éramos em 10 aspiras. Tenho certeza que o S3 (Oficial Responsável pela Formatura) deve ter aconselhado o Comandante sobre a possibilidade extrema de “chafurdar a missão”. Imagine... com 2 ou 3 tenentes a probabilidade de dar errado já era grande, com 10 aspiras... mico na certa!

Abraço

Thanks: Varguinha

Mais...

DECRETO No 2.243, DE 3 DE JUNHO DE 1997.

Dispõe sobre o Regulamento de Continências, Honras, Sinais de Respeito e Cerimonial Militar das Forças Armadas.

SEÇÃO III Do Compromisso dos Militares Nomeados ao Primeiro Posto e do Compromisso por Ocasião da Declaração a Guardas-Marinhas e Aspirantes-a-Ofícial

Art . 176. Todo Militar nomeado ao primeiro posto prestará o compromisso de oficial, de acordo com o determinado no regulamento de cada Força Armada.

Parágrafo único. A cerimônia é presidida pelo Comandante da Organização Militar ou pela mais alta autoridade militar presente.

Art . 177. Observadas as peculiaridades de cada Força Armada, em princípio, o cerimonial do compromisso obedecerás às seguintes prescrições:

I - para o compromisso, que deve ser prestado na primeira oportunidade após a nomeação do oficial, a tropa forma armada e equipada, em linha de pelotões ou equivalentes; a Bandeira à frente, a vinte passos de distância do centro da tropa; o Comandante postado diante de todo o dispositivo, com a frente voltada para a Bandeira Nacional, a cinco passos desta;

II - os oficiais que vão prestar o compromisso, com a frente para a tropa e para a Bandeira Nacional, colocam-se a cinco passos desta, à esquerda e a dois passos do Comandante.

III - a tropa, à ordem do Comandante, toma a posição de "Sentido"; os compromitentes desembainham as suas espadas e perfilam-nas;

IV - os demais oficiais da Organização Militar, a dois passos, atrás da Bandeira, em duas fileiras, espadas perfiladas, assistem ao compromisso;

V - em seguida, a comando, a tropa apresenta arma, e o Comandante faz a continência individual; os compromitentes, olhos fitos na Bandeira Nacional, depois de abaterem espadas, prestam, em voz alta e pausada, o seguinte compromisso: "PERANTE A BANDEIRA DO BRASIL E PELA MINHA HONRA, PROMETO CUMPRIR OS DEVERES DE OFICIAL DA MARINHA DO BRASIL (EXÉRCITO BRASILEIRO OU AERONÁUTICA BRASILEIRA) E DEDICAR-ME INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA";

VI - findo o compromisso, a comando, a tropa executa "Descansar Arma"; o Comandante e os compromitentes volvem-se de maneira a se defrontarem; os compromitentes perfilam espadas, colocam-as na bainha e fazem a continência.

Art . 178. Se, em uma mesma Organização Militar, prestarem compromisso mais de dez oficiais recém-promovidos, o compromisso se realiza coletivamente.

Art . 179. Se o oficial promovido servir em Estabelecimento ou Repartição, este compromisso é prestado no gabinete do Diretor ou Chefe e assistido por todos os oficiais que ali servem, revestindo-se a solenidade das mesmas formalidades previstas no Art. 177.

Art . 180. O compromisso de declaração a Guarda-Marinha e Aspirante-a-Oficial é prestado nas Escolas de Formação, sendo o cerimonial realizado de acordo com os regulamentos daqueles órgãos de ensino.



2 comentários:

Andre Varga disse...

Moscow:
entre eu e o Daher (o Anão!) é o BB: BERNARDINO.
E entre o Sersósimo (o Jack!) e vc é o ANDRADE.

Abrax.
:)

Alexandre Moscone disse...

Varguerita, vc lembra destas coisas ou busca em anotações? Hahahah

Abraço

Postar um comentário